em Receitas

O nome tem origem no verbo italiano “pestare”, ou macerar. E tudo começou com o Agliata, um creme feito de alho usado em 1200 para conservar os alimentos. Dessa combinação de alho com outras especiarias, surgiu uma nova receita: o pesto. A sua primeira aparição, ao que tudo indica, remete ao século XIX, quando Giovanni Battista Ratto citou a receita em seu livro “Cuciniera Genovese”. Partindo de Gênova, na Itália, o molho começou a conquistar o resto do mundo, graças às tripulações dos navios que paravam no porto da cidade e embarcavam de volta aos países de origem, como a Argentina e os Estados Unidos.

De qualquer forma, a Itália sempre será o coração do pesto. E do manjericão também! E isso não poderia ser uma mera coincidência, né? A verdade por trás disso é o clima favorável da região, que faz de ambas especiarias locais, as mais saborosas do mundo.

Mas só de origem, não se faz um bom pesto, né? É preciso, também, saber os truques dessa receita especial que tem tudo a ver com o verão, por ser leve, refrescante e versátil. E como nós, do Covabra, não gostamos de te deixar com vontade, veja o passo a passo de um molho pesto perfeito, que pode ser a combinação ideal para uma salada, um macarrão ou ainda um aperitivo de torradas:

Ingredientes:
1 maço de manjericão fresco
1 dente de alho amassado
½ xícara (chá) de azeite extravirgem
5 Castanhas do Pará (ou pinoli)
50 gramas de queijo parmesão (em pedaço ou ralado)
½ colher (café) de pimenta-do-reino

Modo de preparo:
Comece amassando o alho com a ajuda de uma colher. Depois, no liquidificador, triture as Castanhas do Pará. Caso opte pela receita original de Gênova, substitua por pinoli. Acrescente o restante dos ingredientes e bata novamente no liquidificador, mas na velocidade baixa. Então, é só acrescentar ao acompanhamento de sua preferência. Buon Appetito!

Últimas Novidades